Slider

Conheça as opções de aparelho fixo invisível e como é o tratamento

Aparelho fixo invisível

Geralmente crianças e adolescentes não se importam em usar braquetes e borrachinhas nos dentes quando fazem um tratamento ortodôntico. Inclusive, é comum que eles peçam para que o dentista utilize borrachinhas e acessórios coloridos para deixar o visual mais divertido e chamativo.

Com adultos costuma ser diferente. Normalmente esse grupo prefere o aparelho fixo invisível. Esse tipo de aparelho é mais confortável, discreto e esteticamente harmonioso. Além disso, oferece mais conforto, já que costuma doer menos e agiliza o tratamento. A sensação é de que realmente a pessoa não utiliza nenhuma intervenção no sorriso. 

Quer saber mais sobre esse assunto? Acompanhe o texto, conheça os dois tipos de aparelhos ortodônticos transparentes ou invisíveis e descubra qual é o mais adequado para o seu perfil. Confira!

Aparelho fixo invisível

Esse aparelho também é chamado de aparelho estético. Trata-se de uma variação do aparelho fixo comum, no qual há uma maior preocupação com a estrutura visual. Isso porque esse tipo de aparelho apresenta braquetes e fios translúcidos que dão a impressão de que são invisíveis. São bastante discretos, a ponto de se tornarem praticamente imperceptíveis.

Aplicação e recomendações

O aparelho fixo invisível é recomendado para qualquer tipo de desalinhamento de dentes. Ele pode ser utilizado para os mesmos casos em que aplica-se o aparelho fixo convencional. Esse aparelho tem um ótimo custo-benefício, uma vez que seu preço é acessível e os resultados são excelentes.

Manutenção e cuidados

aparelho fixo invisível exige manutenção mensal. É preciso procurar o dentista frequentemente para realizar ativações e ajustar ou substituir os elásticos. 

Apesar de ter o aspecto frágil por causa de sua transparência, o aparelho fixo invisível é bastante resistente. O paciente que o utiliza pode, por exemplo, mastigar de forma tranquila sem se preocupar se os braquetes vão se soltar ou quebrar. 

Aparelho móvel em placa invisível

Esse é outro tipo de aparelho transparente ou invisível. Trata-se de uma tecnologia que tem revolucionado o mercado de estética odontológica. Ele é muito mais discreto do que o aparelho fixo invisível, além de contar com outro ponto positivo: a praticidade de ser totalmente removível. 

Aplicações e recomendações

Por conta da sua estrutura removível, o aparelho móvel em placa invisível é feito para corrigir problemas de desalinhamentos menos graves. Ele é feito com molde específico para a estrutura da arcada dentária do paciente. 

O custo desse aparelho costuma ser mais elevado, mas as vantagens compensam o investimento. Por conta da sua tecnologia de software e moldagem em 3D, os valores do tratamento aumentam. Portanto, esse tipo de aparelho é recomendado para pacientes que buscam maior discrição e praticidade, mesmo que tenham que pagar mais por isso.

Manutenção

O aparelho móvel em placa invisível não exige manutenções nos moldes do aparelho fixo, mas requer substituição. Na verdade, o paciente que usa esse tipo de aparelho deve trocá-lo quinzenalmente. Isso porque cada aparelho faz parte da etapa de movimentação da arcada dentária. 

Em vez de usar braquetes, a estrutura do aparelho móvel invisível conta com attachments, ou seja, pequenas estruturas que ajudam o alinhador aplicar a quantidade correta de força na direção correta. Esses elementos não estão presentes em todos os dentes, somente naqueles em que a movimentação é necessária. 

Essas foram algumas informações sobre aparelho fixo invisível. É importante sempre procurar uma clínica odontológica de qualidade, bem conceituada no mercado para colocar esse aparelho. Afinal, é como uma equipe bem treinada que é possível aplicar alta tecnologia e otimizar os benefícios desses tratamentos ortodônticos.

Quer conhecer um lugar extremamente especializado em ortodontia? Entre em contato com a clínica Dr Gustavo Giovanni Bonelli. Essa clínica oferece atendimento a paciente de acordo com a sua necessidade e realidade clínica. Entre os seus diferenciais estão tratamentos com vários tipos de aparelhos e parcerias com diversos especialistas que dominam técnicas e procedimentos modernos. 

Descubra a importância da documentação ortodôntica e como é composta

documentação ortodôntica

Quem pensa que a documentação ortodôntica é dispensável se o dentista tem tradição e experiência no mercado está muito enganado. Esse tipo de documentação consiste em uma série de exames que ajudam o profissional, por mais qualificado e experiente que seja, a compreender a real situação dos dentes de seus pacientes.

Esse tipo de documentação é essencial na condução de qualquer tratamento ortodôntico. Afinal, ele funciona como um histórico do tratamento. Para ter ideia da importância da documentação ortodôntica, dentre os exames solicitados está as radiografias periapicais. Elas, por sua vez, ajudam a verificar se o paciente apresenta algum tipo de comprometimento das raízes e, com isso, reduzem o risco de complicações durante a utilização de um aparelho, por exemplo. 

Quer saber mais sobre esse assunto? Leia o texto e conheça quais são os tipos de exames cobrados na documentação ortodôntica. Também saiba o real motivo pelo qual o tratamento ortodôntico não pode ser feito sem essa documentação. Confira!

Quais são os exames da documentação ortodôntica?

Radiografias periapicais

Esse tipo de radiografia, como mencionei no início, aponta se o paciente apresenta algum tipo de comprometimento nas raízes dos dentes da frente. A análise desse local é importante para perceber se é possível que o dente sofra reabsorção radicular durante tratamento ortodôntico. Esse tipo de radiografia deve ser acompanhada durante todo o tratamento.

Radiografias panorâmicas

Essa categoria de radiografias proporciona uma visão 360 graus da boca. Ela ajuda a identificar se há dentes fora da posição ou que não se desenvolveram normalmente. Também por meio da radiografia panorâmica é possível checar se os dentes se desenvolveram em maior número que o normal. 

Além disso, as radiografias panorâmicas podem também identificar problemas de alinhamento e doenças que não são detectadas pelo exame clínico do dentista. Por exemplo, alguns tumores ou lesões podem ser identificados através desse tipo de radiografia.

Modelos de gesso

Outro exame que deve conter na documentação odontológica é o modelo de gesso. Trata-se de uma reprodução em modelo de gesso de toda a estrutura da arcada dentária do paciente. Esse modelo proporciona uma análise detalhada da oclusão e dos dentes em si, fazendo com que o ortodontista faça um planejamento ortodôntico mais eficiente. 

O modelo de gesso geralmente é utilizado para fazer análises dentais comparativas. Ele ajuda a identificar a falta ou excesso de espaço para alinhar os dentes, direcionando os tratamentos da melhor forma.

Telerradiografia lateral

Outro exame importante que consta na documentação ortodôntica é a telerradiografia lateral. Ela ajuda a observar a cabeça do paciente lateralmente. Esse exame é fundamental para avaliar o crescimento e desenvolvimento da face do paciente.

A telerradiografia lateral permite que o crescimento da mandíbula e maxila em relação à base do crânio seja avaliado detalhadamente. Como se não bastasse, possibilita o estudo de traumatismos e processos patológicos na região.

Por que afinal o tratamento ortodôntico não pode ser feito sem a documentação?

Por mais que o ortodontista seja experiente, a documentação ortodôntica não deve ser descartada. Isso porque esse tipo de documentação oferece uma série de dados, prevê riscos e detecta fatores importantes que envolvem o tratamento ortodôntico. 

Não é à toa que os bons profissionais da área somente iniciam a abordagem terapêutica ortodôntica após criteriosa análise desse tipo de documentação. Para completar, a documentação ortodôntica permite que o ortodontista interfira, assim que necessário, no planejamento do tratamento, oferecendo a melhor evolução possível ao paciente. 

Fique atento e desconfie sempre do dentista que não solicitar uma documentação ortodôntica antes de iniciar o tratamento. É importante sempre perguntar para a clínica ou para o odontólogo sobre sobre o planejamento do tratamento e a inclusão da documentação.

Você conhece alguém que pretende fazer um tratamento ortodôntico? Compartilha esse texto com seus amigos nas redes sociais e espalhe conteúdo útil! Uma informação pode fazer toda diferença no sucesso do tratamento.

Ortodontia preventiva em criança

ortodontia preventiva em crianças

A ortodontia preventiva é a aquela que se antecipa ao desenvolvimento das maloclusões. Ela busca diagnosticar com antecedência os problemas ortodônticos que uma criança pode ter, ainda na fase em que os pequeninos estão com dentes de leite na boca. A verdade é que esse é um dos principais motivos pelo qual recomenda-se que os pais façam o correto acompanhamento odontológico dos filhos com um dentista especialista em Ortodontia desde cedo.

Um dos principais objetivos da ortodontia preventiva é a preservação dos espaços naturais que existem pela presença dos dentes de leite para que os dentes permanentes possam nascer e ocupar este espaço sem comprometer ou entortar outros dentes. Por isso, a maioria dos tratamentos de ortodontia preventiva consiste justamente no uso de pequenos aparelhos fixo ou removíveis durante a fase de crescimento das crianças, para ajudar a manter esses espaços.

Assim, crianças com problemas ortodônticos como perdas precoces de dentes de decíduos (de leite), hábitos de sucção de dedo ou chupeta, e problemas de dicção como interposição lingual podem ser resolvidos de maneira mais simples, evitando um tratamento mais longo e delicado, como o uso de aparelho fixo ou a extração de dentes. O ideal é que os procedimentos de ortodontia preventiva sejam realizados dos 6 até os 12 anos, sem precisar de tratamentos mais complexos no futuro.

O que você precisa saber sobre a mordida cruzada

mordida cruzada

Quando se fala em um sorriso bonito, não estamos nos referindo apenas ao alinhamento dos dentes. É preciso também levar em conta se a arcada está com o posicionamento adequado, ou seja, com a oclusão correta. Para que a mordida seja normal, os dentes superiores se encaixam um pouco à frente dos inferiores, como se fosse a tampa de uma caixa.

Entretanto, muitos pacientes apresentam a situação contrária, ou seja, os dentes inferiores ficam à frente dos superiores, o que caracteriza a mordida cruzada. Esse problema pode trazer não somente prejuízos estéticos, mas também para a saúde em geral.

Neste post, vamos explicar melhor o que é a mordida cruzada, suas causas, o que ela pode ocasionar e as formas de tratamento, que devem começar ainda na infância. Acompanhe!

O que é mordida cruzada?

A mordida cruzada ocorre quando a arcada superior acaba se encaixando por dentro da inferior. Um ou mais dentes do maxilar superior não se alinham com os da arcada inferior, ficando mais próximos da bochecha ou da língua, o que deixa o sorriso torto. Em muitos casos, é possível perceber que a pessoa apresenta essa condição porque o queixo fica mais para a frente da face.

Quais são os tipos de mordida cruzada?

Muitas vezes, essa desarmonia não ocorre nos dentes da frente, por isso as pessoas podem não notar que sofrem com a condição e deixam de procurar o tratamento. Isso acontece porque existem vários tipos de mordida cruzada:

  • posterior bilateral — quando os dentes posteriores da arcada superior fecham por dentro dos dentes da inferior;
  • posterior unilateral — o desalinhamento ocorre em apenas um dos lados da boca.
  • anterior — quando os dentes anteriores da arcada superior fecham por trás dos dentes da inferior;

Quais são as causas para essa condição?

Existem diversas causas para a mordida cruzada, como:

  • problemas dentários — dentes que nascem tortos ou se posicionam fora da arcada. A erupção tardia dos dentes também pode ser um fator para esse quadro;
  • problemas ósseos — o osso maxilar se desenvolve pouco e fica em um tamanho menor do que deveria;
  • maus hábitos — uso de mamadeira, chupeta ou a mania de chupar o dedo na infância podem levar à mordida cruzada;
  • alterações respiratórias — o hábito de respirar pela boca pode contribuir para causar essa alteração nas arcadas;
  • origem genética — é comum observarmos um mesmo padrão familiar de mordida cruzada, mas que pode ser agravada por maus hábitos na infância.

Quais prejuízos pode trazer para a saúde?

Por conta da desarmonia do sorriso e assimetria facial, a mordida cruzada pode ocasionar problemas estéticos. Mas não é só isso: esse desalinhamento da arcada pode levar também a problemas bucais e de saúde. A pessoa pode ter mais dificuldade para escovar os dentes e para tirar todos os restinhos de alimentos da boca, ficando mais propensa a desenvolver gengivite e cárie.

A mordida cruzada pode gerar ainda uma sobrecarga de forças em alguns pontos da arcada na hora da mastigação, levando a disfunções na articulação temporomandibular (ATM). Com o tempo, essas disfunções podem provocar dores de cabeça, pescoço, ombros e costas.

Ainda é possível apresentar dificuldade de respiração e fala. Por isso, é muito importante procurar o dentista para cuidar desse quadro ainda na infância para que o problema não se torne difícil de tratar na vida adulta. O diagnóstico precoce é, portanto, essencial, pois o tratamento em crianças é mais simples.

Quais são os tipos de tratamento?

Na infância, o tratamento para a mordida cruzada é mais eficiente, visto que os ossos estão em desenvolvimento. Dessa forma, aparelhos ortopédicos vão estimular o crescimento do maxilar para que as arcadas se alinhem corretamente. Se o problema é decorrente de alterações nos dentes, o indicado é o tratamento ortodôntico.

Nos adultos, dependendo da situação, pode ser recomendado o aparelho ortodôntico e a boa notícia é que hoje existem opções de dispositivos bem discretos. Já quando a discrepância entre as arcadas é muito acentuada, o recomendado é a cirurgia ortognática.

É importante dar atenção à mordida cruzada, principalmente em crianças, levando-as desde cedo às consultas com o odontopediatra. Assim, o tratamento é mais simples e você evita uma série de problemas que podem comprometer a qualidade de vida e autoestima na vida adulta.

Gostou do nosso post? Acompanhe outros conteúdos sobre saúde e estética bucal, curtindo a nossa página do Facebook!

Quais são os principais tipos de tratamento ortodôntico?

tipos de tratamento ortodôntico

Desalinhamentos dentários, giros, apinhamentos, diastemas e problemas na mordida. Essas são algumas das condições que são tratadas com diferentes tipos de tratamento ortodôntico. Para isso, há dispositivos variados, que estimulam a movimentação e fazem as correções necessárias.

Sua estrutura e forma de atuação são diferentes, sendo assim, apresentam indicações distintas em função de serem eficazes em um ou outro caso — promovendo resultados melhores e um tratamento com maior qualidade estética e funcional.

Você conhece esses tipos diferentes de tratamento e os respectivos aparelhos ortodônticos? Continue lendo este post, porque apresentaremos os principais deles para que você descubra as opções existentes para tornar o seu sorriso perfeito.

Tipos de aparelho ortodôntico

Existem muitas condições diferentes que indicam a necessidade de um paciente fazer tratamento ortodôntico. Mesmo entre aqueles que apresentam problemas semelhantes, o grau de complexidade implica na técnica e dispositivo que serão adotados.

Por isso, foram desenvolvidas várias opções de aparelhos para atender a essas necessidades. Assim, o profissional consegue tratar especificamente a condição do paciente, planejando o tratamento da melhor forma e alcançando resultados superiores.

Alguns aparelhos são indicados para casos complexos, outros, corrigem imperfeições mais discretas. Além disso, temos aqueles com estrutura convencional e os que trazem materiais estéticos que não impactam a aparência da pessoa.

Veja, a seguir, quais são os principais que permitem realizar diferentes tipos de tratamento ortodôntico.

Fixo

É o aparelho convencional, cujos bráquetes metálicos são colados um em cada dente e unidos pelo arco ortodôntico. Não pode ser retirado da boca durante as refeições nem para higienização. É indicado tanto para correções simples como aquelas que são consideradas mais complexas pelo profissional da sua confiança.

Fixo estético

Sua estrutura e funcionamento são similares às do aparelho fixo convencional, com a diferença de ser confeccionado em materiais transparentes ou da mesma tonalidade do esmalte dentário. Por isso, ele fica mais discreto na boca e permite fazer as correções sem prejudicar a aparência.

Contenção

O aparelho de contenção é um dispositivo móvel utilizado depois de terminar o alinhamento dos dentes. Sua função é evitar que eles retornem para a posição original (recidiva dentária). Há também contenções fixas feitas com bráquetes. Cada tipo é indicado dependendo da necessidade do paciente, mas todos são essenciais para manter os resultados alcançados.

Lingual

Os bráquetes desse aparelho são colados na face interna dos dentes e mantêm contato com a língua, daí o seu nome. Geralmente, é indicado para quem precisa do dispositivo por pouco tempo ou para praticantes de esporte, que estão mais suscetíveis a sofrerem pancadas na região na boca. Também é uma opção discreta e estética.

Ortopédicos

Esse tipo de aparelho ortodôntico é indicado quando existe a necessidade de conter ou estimular o crescimento ósseo, para que se alcance uma anatomia adequada. O expansor palatino, a máscara facial, o aparelho extra-bucal (AEB) e o Bionator são exemplos de opções para fazer correções na estrutura facial. A mordida cruzada é um dos problemas de mordida que pode ser corrigido com aparelhos ortopédicos. Nestes casos, utilizamos o expansor palatino.

Alinhadores

Estão se tornando um dos tipos de tratamento ortodôntico preferidos. Feitos em material quase invisível, se encaixam com discrição e perfeição nos dentes, como uma capa. São confeccionados diversos alinhadores com pequenas diferenças entre si para trocar a cada 15 dias e estimular a movimentação dos dentes. Corrigem desde problemas leves a moderados.

Como você pode perceber, são muitas as opções para escolher o tipo de aparelho ortodôntico que mais lhe agrada, no entanto, somente o profissional é que pode dizer quais são aqueles que atendem à sua necessidade e podem alcançar bons resultados em seu caso.

Por isso, antes de definir qual dos tipos de tratamento ortodôntico você quer fazer, converse com um bom especialista. Fale sobre suas preferências e, com base nas correções que precisam ser feitas, ele indicará as melhores alternativas. Assim, você ainda poderá optar entre os dispositivos mais eficazes para deixar o seu sorriso perfeito como deseja!

Quer saber qual aparelho é o ideal em seu caso? Entre em contato conosco e deixe os nossos especialistas ajudarem você!

Barra da Tijuca

Av. Evandro Lins e Silva, 840 | 1011. Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22631-470

21 3325-7713

21 98466-0858

Jacarepaguá

Estrada de Jacarepaguá, 7187 | 405. Freguesia, Rio de Janeiro - RJ
CEP: 22753-030

21 2447-0640

21 98466-0858